Ata nº 27/2021

– Ata da Décima Nona Reunião Ordinária da Primeira Sessão Legislativa Ordinária da Décima Nona Legislatura, realizada no sete de junho de dois mil e vinte e um, às dezenove horas, no Plenário da Câmara Municipal de Santa Rita de Caldas, sob a presidência do Vereador Edymilson Fernandes de Paula e secretariada pelo Vereador Gustavo Couto Fonseca. Após registrada a ausência do Vereador Ezequiel de Souza Moreira, o Senhor Presidente declarou aberta a Sessão e leu-se a Ata da Reunião Ordinária anterior, que foi aprovada por unanimidade. Prosseguindo, foram lidas as Indicações de número 69/2021, do Edil José Afonso; 71 e 72/2021, do Edil José Nilson; 73 e 74/2021, da Bancada do Partido Social Democrático. Em seguida, concedeu-se espaço à Cidadã Maria Ilda de Carvalho na Tribuna Livre. Ela fez menção ao Dia Mundial do Meio Ambiente e ao Dia dos Namorados. Para ela, os cidadãos santa-ritenses são privilegiados por morarem em um Município com riquezas naturais tão vastas e belas e defendeu que era a responsabilidade de todos preservá-la para as próximas gerações, o que lhes é um direito garantido por diretrizes mundiais, leis e pela própria Bíblia Cristã. A Cidadã também lamentou os diversos casos de desvio de verbas públicas destinadas à contenção da Pandemia de COVID-19 e ao tratamento de pacientes com esta enfermidade que vinham sendo descobertos. Em seguida, deu-se início às Considerações Finais. A Vereadora Maria Inês expôs uma situação que acontecera naquele domingo passado no Pronto Atendimento Municipal, disse o seguinte: “Agora, neste momento, eu preciso falar do que ocorreu, ontem, no Pronto Atendimento, a minha sogra, a Dona Odete, ela está na UTI, grave. Ela teve um infarto. A princípio, era uma descompensação respiratória. Ela teve que ser entubada. E vou falar uma coisa pra vocês: muita gente não gosta, já ouvi muitos comentários não tão legais quanto ao Doutor Gutemberg. Mas eu só tenho o que agradecê-lo. Minha sogra está ainda viva graças a competência dele no momento. No momento certo da intubação. No momento certo de tomar decisão para que aquilo ocorresse e salvasse a vida dela naquele momento. Eu, estando em Poços de Caldas… Quando a Salete me ligou, eu fiquei muito preocupada e comecei a correr atrás de vaga, que não tinha, porque só aceitava pacientes com COVID-19. Não tem vaga. Não tem vaga. Conversei com a Regiane, que, prontamente, subiu para o Pronto Atendimento, rapidinho. O Emílio também. E têm minha uma gratidão por todo esse carinho e respeito pela família. Conseguimos, graças a Deus, a vaga zero, porque não era COVID-19. Ela foi pra Santa Casa. Só que a Odete estava entubada e ela precisava de uma respiração mecânica, porque não se respira a partir do momento que você está entubado. E ela ficou no ambu, das 16:30, mais ou menos, até às 17:30, quando eu cheguei de Poços, ou um pouco mais cedo, eu não lembro. Eu falei: “Gente, e o respirador? Pelo amor de Deus! “Ah, está estragado.” Eu falei: “Não está estragado, gente. Pelo amor de Deus! Não está estragado. Façam uma ligação de vídeo, porque a Maria Angélica vai ajudar, vai orientar para que esse respirador se coloque na Odete. Por favor, gente.” Lógico que não ligaram para a Maria Angélica, porque as meninas morrem de medo da Raíssa em qualquer lugar que ela esteja trabalhando. Mas elas tiveram a coragem de, em segredo, ligar pra Caldas, que ensinaram a colocar o ventilador. E, graças a Deus, essa ação dessas meninas, corajosas, mas receosas, conseguiram colocar. E se ficou até às 23:30, usando o respirador. Foi quando nós conseguimos a UTI-móvel, porque ela não podia ir na ambulância comum. O medo de acontecer alguma intercorrência durante o transporte era muito grande. E, se não estivesse funcionando esse respirador, ela não teria sobrevivido. Desde março ou abril esse respirador está aí. Quantas vezes eu falei, aqui na Câmara, que o respirador funciona, aquele que a Juparaná doou pra Santa Rita de Caldas? Quantas críticas a gente ouviu no Facebook, que não tinha respirador e que não sei o quê? Gente, o respirador está lá. Faltou a vontade da Gestora de Saúde, Raíssa, no mandato passado, de colocar as meninas sobre a responsabilidade da saúde para fazer o treinamento. E, ontem, na hora que a minha sogra precisava… Ela precisa descansar? Precisa. Mas ela é Enfermeira Padrão hoje. Ela estava lá na “Chacrinha” e não se dispôs de vir, aqui, acudir, se ela soubesse. Porque ela trabalhou na UTI. Ela sabia (entubar), talvez, não sei. Conversei com o Doutor Alcino, conversei com o Emílio. O Emílio, ontem, perto de mim e da Regiane, pediu para a Regiane marcar uma reunião para hoje de manhã, porque ele estava envergonhado do que estava acontecendo ontem. Gente, porque aconteceu com a minha sogra, a sogra da Maria Inês, por isso houve o respirador naquela hora para que fosse salva a vida dela, porque a Maria Inês foi lá, foi questionar e a Maria Inês entende do assunto. Eu termino de falar na próxima. Mas a Raíssa precisa entender que, se ela não tem competência, eu não seguro mais o cargo dela como quando implorei para o Geraldo. Está na mão do Christian salvar vidas ou deixar que ela continue fazendo as “cagadas” que ela faz”. Alguns de seus colegas e ela informaram que, após o incidente, o Senhor Prefeito ficara muito descontente e fizera uma reunião para discutir os problemas percebidos. Para eles, era imprescindível que estes problemas fossem resolvidos. O Senhor Presidente informou que o Senhor Prefeito havia manifestado o interesse em corrigir todos os erros que fossem encontrados na gestão municipal. Eles também desejaram a pronta recuperação da Senhora Odete. O Edil Gustavo salientou que, principalmente, na execução de serviços públicos, era necessário que as pessoas não fossem arrogantes e tivessem respeito e cordialidade com os demais. Para ele, isto era imprescindível tanto para aqueles que prestavam os serviços quanto para aqueles que os recebiam, durante a apresentação de sugestões de soluções. Também se registra que os Vereadores agradeceram os Congressistas que haviam encaminhado Emendas Parlamentares para Santa Rita de Caldas. Em outros momentos, a Vereadora Taíse e Vereador José Nilson informaram que o Senhor Prefeito havia se comprometido a garantir o término das obras de pavimentação da estrada de acesso ao Distrito do Pião até o final do ano corrente. O motivo do atraso das obras estava relacionado à necessidade de se reformar a sua base, feita no ano anterior. Entretanto, os Vereadores Gustavo e Taíse discordaram sobre os motivos desta necessidade. A Vereadora Taíse e Vereador José Nilson também informaram que o Prefeito havia se comprometido a providenciar operação tapa-buracos da Rodovia do Contorno e da Estrada Municipal Prefeito Sebastião Carvalho e Silva. O Edil Gustavo comentou que a situação da Rodovia do Contorno era um exemplo de como a falta de capricho na realização de obras causava prejuízos ao erário. Ao longo do tempo, vários serviços de recuperação do asfalto foram realizados neste local, que, mesmo assim, encontrava-se em estado deplorável. Em outro momento, o Edil Roberto pediu o apoio de seus colegas para encaminhar algumas sugestões sobre os critérios que deveriam ser adotados para a dispensa de funcionários durante os pontos facultativos. Como ele citou, estava havendo uma confusão sobre quais funcionários deveriam trabalhar nestes períodos, o que causava prejuízos ao serviço como um todo. Por exemplo, no último feriado, os funcionários responsáveis pela limpeza pública exerceram suas funções normalmente enquanto os motoristas que deveriam auxiliá-los haviam sido dispensados. A Vereadora Taíse ressaltou que competia ao Chefe do Poder Executivo decretar quais servidores trabalhariam nos pontos facultativos e não ao Departamento de Recursos Humanos da Prefeitura Municipal. Entretanto, assim como fez o Edil João Milton e o Senhor Presidente, ela comprometeu-se a conversar com o Prefeito sobre este assunto. O Senhor Presidente também aproveitou para pedir que os Vereadores da oposição não se sentissem receosos em apresentar suas demandas diretamente ao Prefeito, o qual é muito respeitoso e receptivo com todos. A Vereadora Taíse, que estivera licenciada por duas Reuniões, destacou o seu apoio aos Servidores da Escola Estadual Carlos Magno de Carvalho, que eram contra a sua municipalização. Ela também aproveitou a oportunidade para informar a todos que a Prefeitura já estava providenciando o processo de compra de medicamentos que estavam em falta no Município. Na sua vez, o Edil João Milton parabenizou o Poder Executivo pela instalação do Departamento Municipal de Meio Ambiente e Agricultura, o que era uma cobrança antiga da Câmara Municipal e que iria garantir a execução da Legislação pertinente a estas áreas. Por fim, o Senhor Presidente tomou a palavra e parabenizou o Poder Executivo pelo início da construção de uma rotatória na confluência das Ruas Major Bonifácio e Antônio Vicente do Nascimento com a Avenida Doutor Demóstenes do Rio Branco, pela recuperação da pintura da sinalização horizontal e pela excelência na recuperação das estradas rurais, mesmo enfrentado dificuldades com o estado precário do maquinário. Ele também prestou agradecimentos à Chefe do Departamento Municipal de Saúde, Regiane Vilas Boas, pela atenção dada às demandas apresentadas a ela e pelos seus esforços em garantir-lhes providências. Sem mais nada a tratar, o Senhor Presidente encerrou a Sessão. Plenário Joaquim Antônio da Silva, aos sete de junho de 2021.